fbpx

Como funciona a verificação de segurança na Rede Prajá

Como funciona a verificação de segurança na Rede Prajá

Você sabia que todos os prestadores de serviços da Rede Prajá passam por um rigoroso processo de verificação de segurança?

No cadastramento de novos prestadores de serviços, a Rede Prajá faz uma verificação de segurança em todo o território nacional, incluindo a busca por antecedentes criminais em todos os 26 estados do país e o Distrito Federal.

E como nós usamos uma tecnologia avançada, conseguimos realizar esse processo de forma rápida e eficiente.

 

Como funciona

O novo usuário insere o seu número de CPF e documento de identificação com foto e a Rede Prajá, a partir disso, verifica e valida os dados inseridos com a base de dados do governo brasileiro.

Isso significa que números de CPF gerados aleatoriamente na internet não serão aceitos pela Rede Prajá, pois não serão aprovados pela validação.

Aplicativo reúne prestadores de serviços e clientes em plataforma de busca

Aplicativo reúne prestadores de serviços e clientes em plataforma de busca

Quem nunca precisou de um eletricista, encanador, faz-tudo ou mesmo de serviços rápidos de entrega e até professor de inglês, cabeleireiro ou pet shop com serviço em domicilio? A maioria das vezes a busca é feita por indicação de algum conhecido, mas, muitas vezes as pessoas não sabem quem indicar, e também há o risco do prestador não estar disponível na hora ou na pressa que se precisa.

Para conectar quem tem algum serviço para oferecer e quem está procurando é que chegou a Rede PraJá, uma plataforma digital, site e aplicativo, que traz eficiência na busca pelo que se deseja de forma conveniente, rápida e segura por geolocalização.

Há dois anos estamos desenvolvendo a plataforma da Rede PraJá para oferecer o melhor serviço tanto para o prestador, quanto para o cliente. Chegamos a um formato que oferece uma ótima experiência e comodidade, mostrando os prestadores de serviços mais próximos, já filtrados pela especialidade. Além disso, temos uma função social, a de ser uma solução ao mercado em recessão e com alto nível de informalidade e desemprego. A Rede PraJá é uma oportunidade de acelerar e gerar novos negócios aos prestadores de serviços e também àqueles que querem operar em horários alternativos e obter uma renda extra no fim do mês explorando suas habilidades, comenta Jaiton Passos, idealizador e CEO da Rede PraJá.

Como funciona?

Tanto o prestador de serviço, quanto o cliente precisam baixar o aplicativo para se cadastrar. A Rede PraJá possui categorias, que são os filtros facilitadores, como: Para sua Casa, Para sua Empresa, Para Você, Para seu Automóvel, Para seu Condomínio e Para seu Pet.

Para o usuárioAo selecionar a especialidade desejada por tipo de filtro, já irão aparecer as opções disponíveis próximos à localização solicitada. Ao clicar, aparecerá o card com foto do prestador do serviço e informações como distância, especialidades adicionais, avaliações de outros usuários, se aceita cartão ou dinheiro, entre outros. Após a seleção, a solicitação é feita dentro do aplicativo, que avisa assim que o prestador sair para fazer o atendimento. Há disponibilidade de serviços 24 horas e pra já, com opção de atendimento imediato, no mesmo dia ou até dois dias. Não há custo adicional ao cliente da plataforma.

Para o prestadorApós criar a conta na plataforma Rede, o prestador deve selecionar as especialidades a que se enquadra e cadastrar todos os dados solicitados. Ao preço de uma mensalidade de R$ 30,00 se abrem inúmeras possibilidades na Rede PraJá. Ao clique de um botão o fornecedor é encontrado pelo cliente, uma oportunidade de acelerar o próprio negócio. São mais de 200 especialidades, desde serviços práticos domiciliares até aulas, serviços de beleza, mecânicos e para profissionais liberais das mais diversas áreas. No aplicativo pode-se escolher o horário de disponibilidade para o trabalho, criando independência ou mesmo uma renda extra.

Fornecedor e cliente verificados

A Rede PraJá oferece aos prestadores um selo de verificação. Para isso o prestador do serviço deve enviar uma série de informações e documentos para análise e validação de qualidade e segurança. Este processo é uma forma de gerar mais confiabilidade para os clientes que solicitam os serviços e manter prestadores qualificados na base da Rede PraJá.

Mesmo com todo esse cuidado, ao final de cada atendimento, é solicitada aos clientes a avaliação do serviço prestado, bem como o prestador também avalia o cliente.

Como baixar: Para conhecer mais acesse site. O aplicativo está disponível na Apple Store e também na Play Store.

Aplicativo reúne prestadores de serviços e clientes em plataforma de busca

Aplicativo reúne prestadores de serviços e clientes em plataforma de busca

Quem nunca precisou de um eletricista, encanador, faz-tudo ou mesmo de serviços rápidos de entrega e até professor de inglês, cabeleireiro ou pet shop com serviço em domicilio? A maioria das vezes a busca é feita por indicação de algum conhecido, mas, muitas vezes as pessoas não sabem quem indicar, e também há o risco do prestador não estar disponível na hora ou na pressa que se precisa.

Para conectar quem tem algum serviço para oferecer e quem está procurando é que chegou a Rede PraJá, uma plataforma digital, site e aplicativo, que traz eficiência na busca pelo que se deseja de forma conveniente, rápida e segura por geolocalização.

Há dois anos estamos desenvolvendo a plataforma da Rede PraJá para oferecer o melhor serviço tanto para o prestador, quanto para o cliente. Chegamos a um formato que oferece uma ótima experiência e comodidade, mostrando os prestadores de serviços mais próximos, já filtrados pela especialidade. Além disso, temos uma função social, a de ser uma solução ao mercado em recessão e com alto nível de informalidade e desemprego. A Rede PraJá é uma oportunidade de acelerar e gerar novos negócios aos prestadores de serviços e também àqueles que querem operar em horários alternativos e obter uma renda extra no fim do mês explorando suas habilidades, comenta Jaiton Passos, idealizador e CEO da Rede PraJá.

Como funciona?

Tanto o prestador de serviço, quanto o cliente precisam baixar o aplicativo para se cadastrar. A Rede PraJá possui categorias, que são os filtros facilitadores, como: Para sua Casa, Para sua Empresa, Para Você, Para seu Automóvel, Para seu Condomínio e Para seu Pet.

Para o usuárioAo selecionar a especialidade desejada por tipo de filtro, já irão aparecer as opções disponíveis próximos à localização solicitada. Ao clicar, aparecerá o card com foto do prestador do serviço e informações como distância, especialidades adicionais, avaliações de outros usuários, se aceita cartão ou dinheiro, entre outros. Após a seleção, a solicitação é feita dentro do aplicativo, que avisa assim que o prestador sair para fazer o atendimento. Há disponibilidade de serviços 24 horas e pra já, com opção de atendimento imediato, no mesmo dia ou até dois dias. Não há custo adicional ao cliente da plataforma.

Para o prestadorApós criar a conta na plataforma Rede, o prestador deve selecionar as especialidades a que se enquadra e cadastrar todos os dados solicitados. Ao preço de uma mensalidade de R$ 30,00 se abrem inúmeras possibilidades na Rede PraJá. Ao clique de um botão o fornecedor é encontrado pelo cliente, uma oportunidade de acelerar o próprio negócio. São mais de 200 especialidades, desde serviços práticos domiciliares até aulas, serviços de beleza, mecânicos e para profissionais liberais das mais diversas áreas. No aplicativo pode-se escolher o horário de disponibilidade para o trabalho, criando independência ou mesmo uma renda extra.

Fornecedor e cliente verificados

A Rede PraJá oferece aos prestadores um selo de verificação. Para isso o prestador do serviço deve enviar uma série de informações e documentos para análise e validação de qualidade e segurança. Este processo é uma forma de gerar mais confiabilidade para os clientes que solicitam os serviços e manter prestadores qualificados na base da Rede PraJá.

Mesmo com todo esse cuidado, ao final de cada atendimento, é solicitada aos clientes a avaliação do serviço prestado, bem como o prestador também avalia o cliente.

Como baixar: Para conhecer mais acesse site. O aplicativo está disponível na Apple Store e também na Play Store.

Foliões usam a criatividade para produzir as fantasias de carnaval

Foliões usam a criatividade para produzir as fantasias de carnaval

A liberdade de escolher algo para representar no carnaval aumenta a procura por acessórios e fantasias. Há opções variadas de figurino: para todos os gostos e bolsos. Se não puder comprar, alugue ou faça você mesmo. Glitter, tinta, chapéus, plumas e os mais inimagináveis acessórios começam a entrar em cena no Distrito Federal. O brasiliense já decide com que roupa vai pular o carnaval. Há quem prefira alugar um figurino completo, mas, até por questões financeiras, alguns foliões optam por produzir a própria fantasia. Para oferecer a maior oferta de apetrechos que a criatividade demandar, as lojas especializadas
nesse tipo de roupa, e as que vendem tecidos e aviamentos já preparam seus estoques.

Mudar completamente de aparência, entrar no espírito de um personagem ou até mesmo fingir ser outra pessoa são algumas das sensações experimentadas por quem se fantasia. A loja Arte em Fantasia, localizada na Candangolândia, trabalha no ramo há 19 anos. Tudo começou com a confecção de uma roupa de princesa para um aniversário infantil. O gerente do estabelecimento, Ícaro Salles, conta que, de lá para cá, eles reuniram um acervo com mais de dez mil fantasias. “Nesse seguimento, somos a maior do Centro-Oeste, e aqui não tem tempo ruim. Temos movimento em qualquer época do ano”, garante.

Afinal, não faltam ocasiões para se travestir por um dia. Além da folia de rua, nessa época do ano, o número de festas temáticas em locais fechados, como boates e bares, também aumenta. “Quem não procura esse tipo de caracterização para os bloquinhos de rua acaba usando essas roupas em outros eventos. Carnaval é sempre bom para o comércio”, comemora Ícaro.

Alguns, por exemplo, preferem não comprar a fantasia e, a cada dia da festa, assumir uma identidade. Para esse público, o aluguel das roupas pode ser uma opção mais atrativa, pelo preço e pela variedade. Além disso, para quem não quer o look completo, alguns badulaques no pescoço, na cabeça e nos braços podem transformar uma roupa comum.

Características e perspectivas de uma juventude que conhece a internet desde a infância

Características e perspectivas de  uma juventude que conhece a internet desde a infância

Há certa resistência entre alguns estudiosos em usar termos muito fechados para definir povos, regiões ou gerações. Argumentam que definições simplificam os problemas e que toda simplificação tende a superficializar o debate. Outra corrente defende que, ainda que possam simplificar o debate, as definições têm o mérito de orientar as discussões. Fiquemos com a segunda opção. Até pouco tempo atrás, livros e filmes ainda falavam da Geração X, aquela que substituiu os yuppies dos anos 80. Essa turma preferia o bermudão e a camisa de flanela à gravata colorida e ao relógio Rolex, ícones de seus antecessores. Isso foi no início dos anos 90. Recentemente, o mercado publicitário saudou a maioridade da Geração Y, formada pelos jovens nascidos do meio para o fim da década de 70, que assistiram à revolução tecnológica. Ao contrário de seus antecessores slackers – algo como “largadões”, em inglês –, os adolescentes da metade dos anos 90 eram consumistas. Mas não de roupas, e sim de traquitanas eletrônicas. Agora, começa-se a falar na Geração Z, que engloba os nascidos em meados da década de 80.

A grande nuance dessa geração é zapear. Daí o Z. Em comum, essa juventude muda de um canal para outro na televisão. Vai da internet para o telefone, do telefone para o vídeo e retorna novamente à internet. Também troca de uma visão de mundo para outra, na vida.

Garotas e garotos da Geração Z, em sua maioria, nunca conceberam o planeta sem computador, chats, telefone celular. Por isso, são menos deslumbrados que os da Geração Y com chips e joysticks. Sua maneira de pensar foi influenciada desde o berço pelo mundo complexo e veloz que a tecnologia engendrou. Diferentemente de seus pais, sentem-se à vontade quando ligam ao mesmo tempo a televisão, o rádio, o telefone, música e internet. Outra característica essencial dessa geração é o conceito de mundo que possui, desapegado das fronteiras geográficas. Para eles, a globalização não foi um valor adquirido no meio da vida a um custo elevado. Aprenderam a conviver com ela já na infância. Como informação não lhes falta, estão um passo à frente dos mais velhos, concentrados em adaptar-se aos novos tempos.

Enquanto os demais buscam adquirir informação, o desafio que se apresenta à Geração Z é de outra natureza. Ela precisa aprender a selecionar e separar o joio do trigo. E esse desafio não se resolve com um micro veloz. A arma chama-se maturidade. É nisso, dizem os especialistas, que os jovens precisam trabalhar. Como sempre.